COMO TRATAR FIBROSE EM ABDOMINOPLASTIA.

Tempo de leitura: 3 minutos

Dando sequencia a nossa troca de experiência, agora vamos falar de fibrose pós-abdominoplastia em um cliente de 52 anos.

Esse caso de fibrose em abdominoplastia em pessoas com mais de 40 anos é bem difícil porque nesta fase já diminui a produção de colágeno e quando faz apenas a cirurgia sem lipoaspiração a chance de formar fibrose diminui ainda mais, quando essa cliente chegou já estava com 25 dias de cirurgia e com a barriga toda dura e com uma pseudobursa que é uma sequela de seroma já falei em outro artigo e tem vídeo sobre seroma se você ainda não viu vai lá e vê para você entender melhor, esse seroma acumulou na base da cicatriz e formou uma bolsa gelatinosa, e acima um endurecimento integro com estase vascular.

O primeiro atendimento foi uma drenagem linfática para melhorar o edema geral e para eu analisar o que estava acontecendo.

Fiz uma anamnese sobre o pós-operatório antes de chegar ate mim ela fez drenagem e ultrassom todos os dias, o ultrassom agrava o problema porque a onda ultrassônica estimula a neocolagenase que em um pós-cirúrgico no inicio não é bem vinda porque o corpo já esta reagindo à agressão sofrida pela cirurgia e já estimulou os fibroblastos para formar o colágeno da área agredida. O uso de ultra som em pós cirúrgico tem que ser bem avaliado e ter o cuidado de fazer massagens apropriadas para desfazer os cordões de colágeno que vão formar, se isso não for feito o quadro pode piorar.

Temos que usar aparelhos, mas, temos que saber como usar para que e em quem, tem pessoas que a reação pode ser aumentar a síntese de colágeno, e em meio aquoso piora ainda mais e pode provocar cavitação instável.

Pedi a cliente para voltar no médico e tentar retirar a Bursa de seroma que formou acima da cicatriz, ela voltou e ele propôs refazer a cirurgia porque estava muito endurecida e o seroma já tinha gelificado demais e não tinha como puncionar, pediu pra ela fazer massagem no abdômen ate a data da próxima cirurgia pra ver se conseguia amolecer mais as partes endurecidas,

Neste Pré-operatório fiz endermologia e massagem executiva essa é uma técnica de massagem modeladora que desenvolvi que dura apenas 30 minutos com um resultado muito bom.

Depois de seis meses ela retornou ao médico que fica a mais de 700 km da minha cidade, e infelizmente o médico a deixou lá por mais 20 dias sem deixa-la fazer nada, ela voltou com o abdômen endurecido de novo, isso aconteceu porque nosso corpo tem memória se da outra vez formou excesso de seroma e  colágeno no repara cirúrgico a tendência e fazer isso de novo, mas como ela não tinha feito nada e não fez aparelho nenhum, eu pude trabalhar com massagens de estiramento, crochetagem e bombeamentos locais, hoje o abdômen dela ainda incomoda quando ela fica muito tempo sem massagear, mas o endurecimento e o aspecto ondulado já esta quase acabando.

O que estou fazendo é massagem executiva, crochetagem na cicatriz para liberar as fibroses e bombeamentos locais profundos.

De home care eu indiquei um creme à base de cafeína junto com um massageador de pontas de silicone para ela massagear todos os dias em todas as direções, o trabalho em conjunto esta sendo um sucesso.

Fiquem atentos, CADASTRE SEU EMAIL NESTE BLOG.

aqui esta o E-book sobre como confeccionar os moldes usados por baixo das malhas compressivas usadas depois da cirurgia plástica.

Gostou do conteúdo então corre lá e assine meu canal  youtube  que toda semana vou colocar uma novidade sobre pós-cirúrgico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.